PRIMEIRO TEMPO

Um rolo compressor. O Figueirense não deixou o Náutico respirar. Atacava de todas as maneiras enquanto o Timbu, acuado, mal conseguia sair jogando. Em todo o primeiro tempo, os visitantes só chegaram próximos ao gol três vezes. Já o Figueira perdeu as contas. E não demorou para fazer o primeiro, com Jorge Henrique. Naturalmente, o alvinegro cresceu e fez o segundo – um golaço – com Robinho. O técnico dos pernambucanos, Waldemar Lemos, terminou o primeiro tempo mandando todos os jogadores descerem logo aos vestiários sem dar entrevistas. A cobrança foi forte. Mas daria resultado?

SEGUNDO TEMPO
Waldemar pode ter dado a maior bronca do mundo nos vestiários. Mas, se ele esperava uma mudança no Timbu, tudo foi por água abaixo. Darlan foi expulso logo aos quatro minutos e colocou em risco qualquer estratégia traçada. O Náutico continuou sendo encurralado pelo Figueirense, que não tomou conhecimento do adversário e ficou quase o tempo todo no campo de ataque. Se o Figueira já era superior, com um a mais ficou melhor. Henan recebeu um bom passe de Robinho e ainda marcou o terceiro aos 28 do segundo tempo. Fechou o caixão.

PRÓXIMOS JOGOS

O Figueirense entra em campo na próxima terça-feira, às 21h30, contra o Guarani, no Estádio Brinco de Ouro. Já o Náutico só volta a jogar no próximo sábado, quando recebe o Ceará, às 16h30, na Arena de Pernambuco.

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA